Buscar
  • Prêmio Book Brasil

Entrevista com Evandro Nunes: Vencedor na categoria "Romance Contemporâneo".


EVANDRO NUNES, vencedor na categoria "Romance Contemporâneo" no II Prêmio Book Brasil, nasceu em Caruaru, PE. Formou-se em Administração pela Faculdade Estácio de Sá. Foi professor na cidade de Itaíba, PE, em seguida ingressou no Banco do Brasil, aposentando-se após 35 anos dedicados à carreira bancária. Cordelista, poeta, contista e romancista. Suas conquistas literárias são poesias e contos publicados em várias antologias, blogs e revistas literárias. Seu mais recente livro é o romance intitulado O FUNERAL DA PROSTITUTA (2020). Atualmente vive em São Luís, MA.



Em que momento aconteceu a transição da ideia para a publicação? O que mais te motivou?


Evandro: Minha inspiração são personagens simples e o cotidiano das pessoas sofridas do interior nordestino, assim como criar e reinventar casos curiosos em que o suspense e o inesperado se encontram.

Você foi uma criança leitora? Houve incentivo ou ingressou por conta própria?


Evandro: Quando ainda criança, quando ia à feira com minha mãe, sempre fugia para as bancas de revistas e ficava bisbilhotando os gibis e os folhetos de cordel. Depois comecei a frequentar as bibliotecas públicas de minha cidade e tomar livros emprestados. Na maioria eram livros de histórias infantis. Ingressei na vida literária para ser apenas um contador de histórias.

Na escrita, você se destaca em romance, cordel, contos e crônicas. Com qual se identifica mais ou deixa discorrer naturalmente?


Evandro: Ainda na adolescência comecei a escrever literatura de cordel e a distribuir no meu bairro. Por isso, acho que me identifico mais com essa manifestação literária tradicional da cultura popular brasileira, mais precisamente do interior nordestino.



Você foi vencedor na categoria "Romance Contemporâneo 2020" no II Prêmio Book Brasil. Como se sente ao ser elegido pelo júri técnico e votação popular?


Evandro: Fiquei lisonjeado pela qualidade do meu livro ser ressaltada e reconhecida pelo público e por esse júri de qualidades muito estimadas.

Quais os maiores desafios enfrentados como escritor brasileiro? E como tenta superá-los?


Evandro: São vários os desafios que enfrentamos. Mas o principal deles é a preferência dos leitores em autores renomados, dando poucas chances aos iniciantes. Outro problema que enfrentamos é quanto à qualidade da obra, isso porque, o novo escritor nem sempre tem condições para investir em revisão, impressão, projeto gráfico e edição. Outro desafio é a distribuição, pois nem sempre os escritores iniciantes conseguem espaço nas grandes livrarias. Para superá-los, é nunca desistir.

O que te motivou a escrever "O funeral da prostituta"? Houve algum acontecimento específico? O que o público (que ainda não leu) pode esperar dessa narrativa?


Evandro: Minha inspiração são personagens simples e o cotidiano das pessoas sofridas do interior nordestino, assim como criar e reinventar casos curiosos em que o suspense e o inesperado se encontram. Este romance contemporâneo narra a história de Maria, personagem principal do livro. As experiências de vida dessa mulher que é uma prostituta, contadas nessa narrativa literária, tem seu início na cidade de Itaíba em Pernambuco, Nordeste do Brasil. A história cativante passa por diversos temas como carência afetiva, pobreza, luta e fé, com uma envolvente trama e um final surpreendente.

E os planos para 2021? Vem livros novos?


Evandro: Para este ano estamos trabalhando um novo romance, ainda sem título, mas já temos concluídos os livros: “OS CASTIGADOS”, e uma coletânea de contos intitulada “O ÉBRIO DOIDO NA CASA DAS PUTAS E OUTRAS HISTÓRIAS”.

Que recado você deixa sobre a importância da leitura em nossa sociedade.


Evandro: Apenas uma frase que sempre acompanha as publicações da Editora Martin Claret: O livro muda as pessoas. Leia mais para ser mais!

Concluindo, peço apenas que leiam “O FUNERAL DA PROSTITUTA”.


Contato: evandronunesbb@gmail.com


Por Marcos de Sá

17 visualizações0 comentário